segunda-feira , 21 Maio 2018

No Banner to display

GOVERNO PRESTA HOMENAGEM ÀS MÃES DE RONDÔNIA EM SOLENIDADE VOLTADA À SERVIDORAS DO ESTADO

Compartilhe:

Marcando o encerramento das atividades iniciadas na segunda-feira (7), com palestras e oficinas sobre temas voltados às mulheres que enfrentam o desafio diário de conciliar a maternidade com a vida profissional, o governador Daniel Pereira prestou homenagem a todas as mães do estado, representadas pelas mães servidoras públicas, em uma rápida solenidade nesta sexta-feira (11) sob o som da Orquestra Villa Lobos, na escadaria e praça do Palácio Rio Madeira, em Porto Velho. O evento coordenado pela Escola de Governo, a Superintendência Estadual de Gestão Gastos Públicos Administrativos (Sugesp) e a primeira-dama Ester Lacerda, contou com a participação de várias autoridades do executivo e legislativo, bem como, do padre Eduardo Fabiano, da Paróquia Nossa Senhora do Amparo; e da pastora Mara Cassiano, da Igreja Sara a Nossa Terra, que conduziram o momento ecumênico rogando a Deus bênçãos e proteção a todas as mães.

O Dia das Mães é comemorado no segundo domingo de maio, que neste ano coincide com a data em que há 130 anos, em 13 de maio de 1888, foi sancionada a Lei Imperial nº 3.353, conhecida como a Lei Áurea, abolindo a escravidão no Brasil.

A primeira-dama Ester destacou o avanço das mulheres, com destaque para as mães, que exercem múltiplas funções, sem querer ser melhores que os homens, mas iguais e reconhecidas. Ela justificou a importância do evento, observando que esses momentos de interação servem para melhor desempenho das funções com leveza. Em nome da secretária adjunta de estado da Saúde, Maria do Socorro, a primeira-dama, que é enfermeira e advogada, também aproveitou para parabenizar a todos os profissionais da enfermagem pelo Dia do Enfermeiro comemorado em 12 de maio.

“Falar de mãe é falar da pessoa que mais amamos e que mais nos ama”, afirmou o governador Daniel, quebrando o protocolo ao cumprimentar as autoridades iniciando pelas mulheres presentes, Ester Lacerda, Maria do Socorro, Tânia Colossi (Ditel), Angélica Ayres (Seduc), Albertina Marangoni (Emater), Isis Queiroz (Escola de Governo) e a pastora Mara, citando em seguida duas referências importantes de mães para a sua vida, as avós Vicentina e Maria Francisco de Jesus, além da mãe, Eloína da Rocha Pereira falecida há 10 anos, de aparência frágil, mas que se revelou forte após sua morte, quando seu esposo Manoel Ignácio Pereira, até então considerado mais forte, ficou desnorteado, conforme revelou o governador.

Em sua fala, o governador ainda observou, que muito embora falar sobre a mãe seja motivo de emoção, em muitos casos elas são vítimas da violência praticada por quem deveria cuidar delas, os próprios filhos. “É preciso corrigir, mas isso tem que ser a partir da formação escolar”, destacou Daniel, citando entre os mecanismos de proteção das mulheres a Patrulha Maria da Penha, que sob o comando da Polícia Militar e o apoio do Ministério Público do Estado (MP-RO) atende às mulheres vítimas de violência doméstica grave, dando suporte psicológico, assistência jurídica, entre outras assistências.

Também quebrando o protocolo, o padre Eduardo fez um apelo aos filhos para que cuidem bem de suas mães, e relatou a trajetória de sua mãe Vitória, que foi impedida pelo pai de estudar ainda criança e quando adulta trabalhou como lavadeira e faxineira, vindo a falecer aos 57 anos, vítima de problemas renais, deixando oito filhos, todos com formação superior. “Mãe não é escrava, embora ela seja escrava de si”, disse o padre, fazendo referência ao 13 de maio e à Lei Áurea, encerrando pedindo a Deus para que conforte aquelas esquecidas pelos próprios filhos.

Ser mãe é carregar no corpo o dom da criação, a dádiva da vida, e no coração um amor que não conhece limites pela vida toda.

Ser mãe é chamar para si a maior e mais divina das responsabilidades. É ter no colo o poder de acalmar, no sorriso o poder de confortar. Ser mãe é ser estabilidade e fortaleza, mesmo na incerteza, mesmo no sofrimento. Ser mãe é tudo isso e muito mais, mas acima de tudo é ter a capacidade de amar incondicionalmente os seus filhos!, leu a pastora, após falar do desafio de se encontrar o equilíbrio como mulher, esposa, mãe e profissional.

Há 30 anos trabalhando no serviço público estadual, Ana Maria Tavares, 63 anos, lotada na Sugesp, mãe de três filhos e cinco netos, assim como Maria do Perpétuo do Socorro, há 38 anos servidora estadual, atuando hoje na Superintendência Estadual de Gestão de Pessoas (Segep), mãe de dois filhos e quatro netos, disseram que sempre gostam de participar dos eventos promovidos pelo governo, em especial o do Dia das Mães, marcado por emoções.

Já Heloíza de Oliveira, 27 anos, que trabalha no Gabinete do Governador, considerou uma “excelente iniciativa” o evento voltado às mães, que incluiu também palestras e oficinas no decorrer da semana, encerrando nesta sexta-feira. Ela é mãe de uma menina de um ano.

Mãe de dois filhos, a Bailarina da Praça, personagem histórica da capital rondoniense, teve participação especial espontânea fazendo a coreografia das músicas executadas pela Orquestra Villa Lobos, que ainda apresentou como atrativo a mascote Patrícia Naomi, 7 anos, cantando Trem Bala, composição de Ana Vilela.

Fonte: 015 – Secom – Governo de Rondônia

Veja Também

ll

Homem confessa ter matado professor universitário e é preso em Porto Velho

Um homem, de 22 anos, suspeito de ter matado e esquartejado o professor universitário, Elessandro …

No Banner to display



Deixe seu Comentário

comentários



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *